CLIQUE NA IMAGEM PARA JOGAR

CLIQUE NA IMAGEM PARA JOGAR

sexta-feira, 16 de dezembro de 2022

HOMEM É EXECUTADO E POLÍCIA CUMPRE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO EM CASA DE CASAL QUE SE NEGOU A FORNECER IMAGENS DO CRIME DE MORTE

 Adenilson Antônio da Silva, de 29 anos de idade, foi morto enquanto trabalhava em uma fábrica de roupas na Rua São Jorge no bairro Planalto em Toritama, Agreste Setentrional de Pernambuco, durante a noite da última quarta-feira.

 Segundo informações, um elemento ainda não identificado, invadiu o local e efetuou vários disparos de arma de fogo contra a vítima que travetava as mercadorias. Adenilson não resistiu a gravidade dos ferimentos e faleceu no local, antes mesmo de receber qualquer tipo de socorro e o assassino fugiu com destino ignorado.

 ‘Cafu’ como era mais conhecido, já tinha passagem pela Polícia e também sofreu uma tentativa de homicídio. O isolamento do local do homicídio foi realizado pela Polícia Militar e a GCM – Guarda Civil Municipal – de Toritama, até a chegada da Polícia Civil que juntamente com o Instituto de Criminalística (IC) promoveu o levantamento cadavérico e o corpo foi encaminhado para o IML – Instituto de Medicina Legal – de Caruaru, Agreste Central do Estado.

 

 O repórter Niedison Lopes – correspondente do Blog na Capital do Jeans – acompanhou a ocorrência ao vivo através da FanPage do Agreste Notícia.

 De acordo com as informações, a Polícia solicitou por três vezes as imagens aos proprietários que se recusaram a colaborar e não compareceram à Delegacia, motivo pelo qual, a autoridade policial representou pelo mandado de busca e apreensão que foi deferido pela justiça.



No cumprimento ao mandado judicial, os policiais apreenderam as câmeras e DVR de interesses para as investigações. O casal foi conduzido para a unidade policial aonde foi lavrado um TCO – Termo Circunstanciado de Ocorrência – pelo crime de desobediência, notadamente ao que se refere à recusa no fornecimento de imagens de câmeras de segurança requisitadas pelo Delegado de Polícia nos termos do Art. 2º, parágrafo 2º, da Lei 12.830/2022.

 “Esse tipo de conduta praticada por moradores é muito comum, e deve ser combatida com veemência, pois acaba embaraçando e dificultando bastante as investigações, que exigem rapidez e eficiência em razão do perecimento de provas”, considera o Delegado que fez questão de destacar que “a equipe da Delegacia leva muito a sério todo e qualquer homicídio que ocorre nesta cidade, tanto que, dos 14 homicídios consumados, 12 já foram elucidados e encaminhados à Justiça”.

Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: