_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

domingo, 20 de fevereiro de 2022

PROFESSORES NÃO TIVERAM DIREITO AO RATEIO DO FUNDEB, PREFEITO SELECIONA 46 SERVIDORES E EXECUTA ALTOS PAGAMENTOS

 Caiu como uma bomba a informação repassada pelo blogueiro Sidney Lima no programa do Marcondes Moreno transmitido pela Rádio Vale FM, na última sexta-feira (18). Diferentes de outros municípios, os professores do Brejo da Madre de Deus, Agreste Central de Pernambuco, não tiveram direito ao rateio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica.

 Pela lei, pelo menos 70% dos recursos do FUNDEB deve ser destinado ao pagamento dos profissionais da educação básica em efetivo exercício. Quando o ente federativo não atinge esse percentual, a diferença deve ser rateada (dividida) entre esses profissionais.

 Como no ano passado não houveram aulas na maior parte do ano, os profissionais brejenses esperavam em Dezembro passado receber o rateio, já que os gastos, por não haver aulas, deveriam ter sido muito abaixo do normal.

 Em todos os municípios da região, os prefeitos fizeram o que recomenda a lei, no entanto, no Brejo da Madre de Deus os professores não tiveram a mesma sorte e até então, não se sabia o que teria acontecido com o dinheiro do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica.

 Na última sexta, Sidney trouxe à tona a informação de que, o prefeito do Brejo selecionou ‘a dedo’ 46 servidores e executou altos pagamentos que somados chegam a quase R$ 1 milhão.

 “Ele escolheu apenas 46 servidores mais próximos, provavelmente, seus correligionários, ferindo o princípio da isonomia, e fez altos pagamentos, alguns ultrapassando os R$ 70 mil. O dinheiro deveria ter sido rateado igualmente para todos os professores. Alguns servidores esperam a muito tempo o direito a licença prêmio, mas até hoje, não foram atendidos. O prefeito está trabalhando para beneficiar um minoria e deixando de atender a grande parte dos profissionais de Educação”, disparou Lima.

Assista o vídeo:

 Para se ter uma ideia, apenas um funcionário chegou a receber em dezembro, mais de R$ 130 mil, enquanto outro recebeu R$ 71 e vários outros foram beneficiados com altos pagamentos.

 Na ótica de Sidney, o prefeito Roberto Asfora para não fazer o rateio entre todos os professores, selecionou o pequeno grupo para executar altos pagamentos, gastando o que havia sobrado e que deveria ter sido rateado entre todos os profissionais.

 Vale lembrar que essa não é a primeira vez, que ações como essa são realizadas na Prefeitura do Brejo. Antes de ser afastado do cargo em Agosto de 2014 para que o ex-prefeito Dr. Edson de Sousa fosse reintegrado ao cargo, Asfora selecionou um grupo de 38 servidores para efetuar o pagamento que somados ultrapassaram os R$ 120 mil. Clique AQUI erelembre.

Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: