_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

______________CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS____________

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL PEDE CASSAÇÃO DE REGISTRO DE DIPLOMA DE VEREADOR REELEITO EM BREJO

 O Ministério Público Eleitora (MPE) através do promotor Dr. Antônio Rolemberg através de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral pede a aplicação de multa e cassação do registro do diploma do vereador reeleito em Brejo da Madre de Deus, Flávio Diniz (PSD), atual presidente da Câmara Municipal, por abuso de poder econômico, abuso de poder político e captação ilícita de sufrágio.

 Na denúncia oferecida pelo MPE consta que o vereador reeleito no domingo (15), doou bem, com o fim de obter-lhe o voto, conforme se infere na imagem da pessoa conhecida por Liene de Titia, onde a mesma publicou no story em sua rede social, imagem da nota fiscal da compra do referido objeto e ao lado um santinho de Flávio Diniz com legenda: “ganhei hoje uma caixa de água do meu vereador Flávio Diniz”.

 Ainda de acordo com o Ministério Público Eleitoral, o presidente da Câmara promoveu durante toda a campanha eleitoral doações de brindes em realizações de torneios por meio de um cabo eleitoral, onde houve entrega de uniforme e quantias em dinheiro para atletas, bem como, para torcedores.

 Foi anexado na ação investigativa várias fotos, inclusive de cheques simbólicos em uma competição ocorrida no início de outubro e também dos uniformes dos times com o patrocínio do candidato em outra competição no dia 24 de outubro.

 O abuso de poder político é argumentado pelo Ministério Público Eleitoral em face da a inauguração da reforma do novo prédio da Câmara de Vereadores que serviu na ótica do Promotor para promoção pessoal do Presidente da casa legislativa municipal.

 Caso a justiça eleitoral aceite a denúncia, o vereador Flávio Diniz será intimado a apresentar defesa, em uma eventual condenação, poderá sofrer aplicação de multa no patamar de R$ 1.064,10 (mil e sessenta e quatro reais e dez centavos) a R$ 53.205,00 (cinquenta e três mil duzentos e cinco reais) e cassação do registro de diploma.

 Esse é o segundo candidato alvo de ações do Ministério Público Eleitoral por abuso de poder econômico e político. O primeiro foi o vereador Ismar Aguiar (PSL) que foi flagrado comprando votos por uma câmera de um aparelho celular. Em caso de cassação, assume o suplente do Partido Social Liberal, Hannaelton Peteleco de São Domingos. Já em relação ao candidato do PSD, em caso de cassação, assumirá o suplente Isaias Ferreira, ex-suprefeito de São Domingos.

Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: