_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

______________CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS____________

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

“A GENTE VAI TER AQUELE VELHO CLÁSSICO ENTRE BOCA PRETA E TABOQUINHA”, ACREDITA JESSYCA CAVALCANTI

 A vereadora Jessyca Cavalcanti (PSDB) participou da edição do programa 30 Minutos de Prosa transmitido na noite de ontem (quinta-feira) pela FanPage do Blog Agreste Notícia. Na oportunidade, a candidata à reeleição foi entrevistada pelo jornalista Sidney Lima e falou de como ingressou na carreira política e lamentou a pouca representatividade da mulher na casa legislativa municipal que segundo ela, deveria ser ocupada 50% por parlamentares do sexo feminino.

 “Fui candidata em 2012 quando por três votos, não ganhei, mas ainda assumir como primeiro suplente do PTC na Coligação, durante um ano. Em 2016 fui eleita, estou na Câmara de Vereadores realizado um trabalho e dentre os 17 vereadores, sou a única mulher que tem mandato, uma forma de lamento, pois acredito que a mulher, ela só vai ter uma representatividade eficiente e democrática, quando a gente tiver pelo menos 50% desses assentos ocupados por mulheres”, lamentou.

 Jessyca também comentou os desafios da eleição deste ano e disse que tem tentado angariar o máximo de votos possíveis para renovar o seu mandato.

 “Estamos aí, nessa luta pela reeleição, esse ano em Santa Cruz nós temos quase 200 candidatos e não é fácil, a gente tem que ir para a rua mesmo e tentar angariar o máximo de votos que a gente puder para poder renovar o nosso mandato. Eu tenho sido muito bem recebido em todas as casas que tenho percorrido em Santa Cruz do Capibaribe. O reconhecimento do meu trabalho, isso me dá uma satisfação muito grande, todo o trabalho que a gente desenvolveu na Câmara de Vereadores, ele deixou uma marca no cidadão e eu sempre chego na casa das pessoas e todos dizem que eu sou merecedora de renovar”, enfatizou.

 Anda na oportunidade, Jessyca Cavalcanti, que também é professora, fez parte do Sindicato dos Professores e atua em escolas públicas há 20 anos, falou do tempo que dirigiu a Escola Estadual Dr. Adílson Bezerra e atribui o seu afastamento da direção, como um ato de perseguição do governador Paulo Câmara e do deputado estadual Diogo Moraes, ambos do PSB.

 “Fui gestora da Escola Estadual Dr. Adilson, que fui Eleita pela comunidade escolar em 2005 e depois em 2012, a gente foi reconduzido ao cargo da gestão da escola eu acredito que foi lá que a gente tomou uma promoção de conhecimento... O meu afastamento foi complicado foi complicado por dois fatores, primeiro porque tínhamos sido eleitos pela comunidade escolar, então, sendo eleita pela comunidade escolar a gente não esperava que, como era pregado no estado de Pernambuco que a gestão era democrática, que você vinha através da eleição direta, que a gente fosse afastada de forma tão brusca em um momento difícil. Eu já tinha recebido o recado, inclusive do próprio deputado Diogo Moraes que haveria a possibilidade de acontecer algo nesse sentido, caso eu não o apoiasse para deputado”, explicou.

 Na entrevista, a candidata relatou que muitas vezes se sentiu discriminada por ser mulher na Câmara Municipal e até mesmo ridicularizada por outros vereadores, citando como exemplo, Carlinhos da Cohab (PP) e Marlos da Cohab (PSB).

 “Eu sentir em alguns momentos muitas vezes que para eu ter voz e vez, era como se eu tivesse provado todo dia que meu mandato era legítimo, pois existe uma não aceitação às vezes dos meus posicionamentos, muitas vezes ridicularizados, a inutilizar você, o fato de ser gorda, de ser ridicularizado, sofrendo muito, alguns vereadores dentre eles, eu cito que o Carlinhos da Cohab era um dos que mais tem esse perfil, já cheguei a conversar com ele, sofri em relação ao vereador Marlos, tive conversa pessoal e disse ‘melhor parar, não tá legal e tal’, alguns não entendem, infelizmente acontece isso e isso é muito ruim, por isso que eu digo a você, que eu sou uma das defensoras de que a gente possa ter mais representativa”.

 Cavalcanti ainda disse ter na pessoa da deputada estadual Alessandra Vieira (PSDB) a inspiração e que a atuação da Tucana encoraja muitas mulheres.

 “Alessandra é nossa deputada, dá uma inspiração a mais, isso é muito importante por que encoraja muitas mulheres, eu vejo conclusivo nessa campanha, agora quando se tem essa questão dos 30% para mulheres, que antes só era para puxar nome de registro de candidatura e hoje tem sido diferente e a gente tem tido aí nomes que estão de fato nas ruas buscando votos, tentando abrir uma vaga também, isso é uma coisa muito importante, eu vejo isso como uma evolução”, considerou.

 Embora nesta eleição, uma terceira alternativa com musculatura política já mais vista na história da Capital da Moda concorra ao pleito eleitoral, Jessyca acredita em uma eleição polarizada entre os dois tradicionais grupos, os chamados ‘bocas-pretas’ e ‘taboquinhas’.

 “Eu sempre acreditei que no decorrer da campanha, os grupos tradicionais eles vão polarizar e assim eu tenho percebido na rua pessoalmente, nessas duas semanas para cá, isso vem acontecendo e a terceira via tem percebido, ela é um pouco desidratada sem ter o que apresentar. Seguindo a linha dos grupos tradicionais, ela mesma sempre colocou o que tentou demonizar, por que essa terceira via de Santa Cruz, ela demonizar a política, ela usa os partidos tradicionais Santa Cruz de Capibaribe e quando ela vem se apresentar, ela se apresenta igual, não encontraram uma forma diferente de fazer a política e ela tem sofrido um desgaste, tem desidratado e a gente vai ter aquele velho clássico entre boca preta e Taboquinha”, afirmou.

Por fim, a vereadora Jessyca falou das suas principais conquistas na Câmara Municipal, citando como exemplo.

 “Eu acho que foi um Marco importante, pois hoje nós temos essa Patrulha Maria da Penha implantada em Santa Cruz do Capibaribe que beneficia as mulheres que sofrem violência, que vai ter mais um canal para que a população possa denunciar de forma anônima e tem um socorro imediato com pessoas que foram preparadas e mulheres que fazem parte da Guarda. Outra questão, é a AME Animal, para mim foi um dos maiores marcos, não é por que a gente tem uma Ame Animal que só tinha em Recife, em Caruaru, um espaço para que a gente possa cuidar desses animais. A gente sabe que é crescente a número de animais domésticos por que eles tratam pessoas com depressão, a companhia deles, as pessoas elas têm gostado muito, por ter sua companhia, muita gente não tem dinheiro para pagar, já que ainda é caro, então é muito importante essa ação, tem também a castrações que agora tem sido diariamente, além dos mutirões que a gente fazia mensalmente desde o início do mandato e agora a AME Animal, a gente tem diariamente castração”.

Assista a entrevista:

 Na próxima terça-feira (27), o programa 30 Minutos de Prosa será realizado na residência do candidato a vereador de Santa Cruz do Capibaribe, Diagênese Gouveia (PSD).

Do: Blog Agreste Notícia 

Nenhum comentário: