quinta-feira, 3 de agosto de 2017

VALMIR RIBEIRO RESPONDE ERNESTO MAIA E AFIRMA QUE VAI PROCESSAR JUNIOR GOMES NA JUSTIÇA

 Na manhã da quarta-feira (02) o programa Rádio Debate recebeu o empresário Valmir Ribeiro, que também é um dos membros da diretoria do Moda Center Santa Cruz.
 O empresário, que está organizando um protesto pessoal contra o polêmico auxílio-alimentação aprovado na Câmara Municipal de Vereadores, se tornou o centro das polêmicas envolvendo os nomes de Ernesto Maia (PT) e também de Junior Gomes (PSB).
 Sobre Ernesto, Valmir também respondeu as declarações de que o empresário teria pedido a fiscalização no Polo de Confecções em 2010 e já em relação a Junior, falou sobre a forte declaração do vereador governista frente ao protesto, declaração esta que teve insultos de ordem pessoal e que esquentou as redes sociais.
Ernesto Maia distorceu os fatos, afirma Valmir - O segundo ponto da entrevista foram às declarações do vereador Ernesto Maia. No dia anterior, o político fez, no Rádio Debate, uma série de afirmações contra o empresário, graças ao protesto capitaneado por Valmir contra o polêmico auxílio alimentação de R$ 1.200,00 na Câmara.
 Ernesto também chegou a afirmar que o empresário teria chegado a pedir que a fiscalização acontecesse nas empresas do polo em uma das reuniões com membros da SEFAZ, no ano de 2010.
 “O que há é uma distorção de falas. Na época, eles (a SEFAZ) estavam para vir e fazer uma fiscalização, mas a minha colocação foi a seguinte: Se é para fazer uma fiscalização, vão lá para fazer uma fiscalização orientativa porque viessem para garantir o que diz a Lei Geral da Micro da Pequena Empresa, que é uma fiscalização orientativa. Apenas pedi dessa forma e quem sou eu para pedir isso?!”, disse.
 Segundo o mesmo, o que o confeccionista não quer é uma fiscalização punitiva para seu comércio, mas incentivos do governo para se trabalhar.
 “Ele distorceu essas falas e disse que eu estava querendo uma fiscalização”, frisou.
 Já quanto à comparação de quando ambos assumiram o posto de Síndico do Moda Center, onde Ernesto teria afirmando que teria aberto mão de não pagar o valor dos condomínios em detrimento de Valmir, ele disse:
 “Eu não legislei em causa própria, pedindo que fosse extinta a minha taxa. Já estava lá posto e muita gente ainda não sabe que síndico não tem salário. O único direito que ele tem é a extinção condominial. Se estava lá posto, eu coloquei que fosse dada continuidade essa extinção porque era algo meu de direito. Não fui pedir a ninguém, não fui colocar em assembleia para votar para sim ou não porque é algo que já existe no Código Civil Brasileiro. O que acontece é que ele está procurando algo individual para atacar, como chegou ao caso de atingir a minha família com atitudes baixas”, frisou.
Empresário afirma que vai processar Junior Gomes - Já na parte final da entrevista, o empresário falou sobre a polêmica declaração feita por Junior Gomes em relação ao seu protesto. O vereador, em rede social, afirmou que o protesto do empresário contra o auxílio-alimentação seria “pantim de corno” e o chamou também de “papangú”.
 “Estou entrando com um processo contra essa situação. Eu sou homem de respeito e não aceito isso, nem eu e nem minha família. Eu tenho nome, história e não aceito. Vou entrar com um processo na Justiça porque isso não se faz com um homem, de maneira nenhuma. (Problema) Particular eu resolvo em particular na Justiça, mas a causa aqui é outra e não com Valmir, mas com a população, que está indignada com esse auxílio-alimentação de R$ 1.200,00. Vir com esse projeto para aceitarmos de goela abaixo? Isso não dá! Eu duvido que algum tenha colocado isso na campanha e isso foi para benefício próprio; para compensar um aumento que foi barrado”, concluiu.

Do: Blog Agreste Notícia Fonte: Blog do Ney Lima

Nenhum comentário: