_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

quinta-feira, 13 de outubro de 2022

PERCENTUAL DE ENDIVIDAMENTO DAS FAMÍLIAS PERNAMBUCANAS VOLTA A AVANÇAR EM SETEMBRO


 Segundo o recorte local realizado pela FECOMÉRCIO-PE, no mês de setembro o percentual de famílias que se declaram endividadas no estado de Pernambuco chegou a 81,9%, registrando uma variação de 0,4 ponto percentual com relação a agosto e 3,9 pontos percentuais em relação a setembro de 2021.

 Com o resultado de setembro, o indicador gradualmente se aproxima do patamar registrado no mês de abril, quando chegou a 82,8%, um dos maiores percentuais da série histórica iniciada pela CNC em 2010.

 O percentual de famílias com contas em atraso, por sua vez, oscilou de 27,1% para 27,9%, voltando a crescer após cinco meses consecutivos em trajetória de queda.

 Já o percentual de famílias que se declaram sem condições de quitar as contas em atraso ficou praticamente estável em relação ao mês de agosto, registrando 13,3% em setembro contra 13,2% no mês anterior.

Pernambuco: Percentual de famílias, segundo as situações de endividamento (valores em % do total de famílias) – setembro/2021 a setembro/2022

 O cartão de crédito segue como principal vetor das dívidas, sendo citado por 93,6% das famílias que se declaram endividadas.

 O que observa nesse momento é que mesmo com a retomada do mercado de trabalho formal e com a desaceleração da inflação nos últimos três meses, o nível de endividamento continua impactando a renda das famílias e o desempenho do comércio local.

 Um dos fatores para isso é que a perda do poder de compras acaba forçando o aumento do uso de crédito para manutenção do consumo e os juros elevados é um impeditivo para que as famílias consigam alguma condição de negociação das dívidas em atraso.

 Outro ponto é que embora o mercado de trabalho melhore, a recolocação no emprego ainda está acontecendo com um salário médio mais baixo, especialmente no setor de serviços e via ocupações informais.

 Nos próximos meses, considerando o momento de comemorações de fim de ano, a tendência é de que o percentual de famílias endividadas continue em patamar elevado. Por outro lado, os recursos adicionais como o 13° salário e o aumento momentâneo da renda com os auxílios até o final de ano tendem a segurar um pouco o nível de inadimplência.

Do: Blog Agreste Notícia Fonte: Assessoria

Nenhum comentário: