_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

______________CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS____________

segunda-feira, 8 de novembro de 2021

EM BUSCA DE VALORIZAÇÃO, GUARDAS CIVIS MUNICIPAIS E AGENTES DE TRÂNSITO REALIZAM MANIFESTAÇÃO EM SANTA CRUZ

 Em busca de valorização, Guardas Civis Municipais e Agentes de Trânsito da cidade de Santa Cruz do Capibaribe, Agreste Setentrional de Pernambuco, realizaram uma manifestação na manhã desta segunda-feira (08), reivindicando melhorias de trabalho e readequação salarial.

 “Não estamos pedindo reajuste salarial, sabemos que todo prefeito hoje, todo gestor, é impedido de dar reajuste em cima da medida 173 do Governo Federal, mas estamos pedindo nossos enquadramentos do nosso plano de cargos e carreira para janeiro de 2022 e ele (prefeito) sabe disso... O risco de vida hoje nosso é de 30%, como é que essa guarda vai fazer um trabalho desse, ganhando 30% de risco de vida. Temos um companheiro que tá há dois anos em Caruaru recebendo R$ 1.330,00, como é que um pai de família sobrevive dessa forma, então chega, pra categoria chega, é saturação!”, desabafou o GCM Valdemiro.


 A manifestação pacífica que percorreu as principais ruas da Capital da Moda, teve início após uma Assembleia da categoria defronte ao SISPOL – Sistema de Integração Social e Policiamento – na Avenida José Moraes da Silva no Centro da cidade, encerrando na Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe localizada na Rua Padre Zuzinha (Rua Grande) com o prédio ocupado pelos manifestantes que exigiam falar com o prefeito Fábio Aragão (PP) que não se encontrava em seu gabinete em virtude de outros compromissos.

 “Como eu vim caracterizado hoje, é como a administração pública nos trata, como verdadeiros palhaços, como estão nossos companheiros lá dentro (prefeitura) é como a população nos ver e como somos, verdadeiros Guardas Municipais, servidores da cidade e da segurança pública municipal”, enfatizou o GCM Vital.

 O Agente de Trânsito, Luiz Henrique, falou das dificuldades enfrentadas pela categoria que vai desde o baixo salário até más condições de trabalho.

 “Do mesmo jeito que a Guarda tá sendo atingida com o mal salário, com más condições, a gente também! E de certa forma pior um pouco, o salário é mesmo, estamos recebendo o salário abaixo do mínimo, de R$ 1.031,93 e isso gera prejuízos nas outras gratificações adicionais que a gente venha a receber, o salário está defasado, os HT’s estão quebrados, viatura, a gente só tem uma, motos duas quebradas que vive dando apagão no meio da rua e a gente passou nove meses dessa gestão dentro da secretaria sem viatura”, disparou.

 Até o fechamento desta matéria, a Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Capibaribe não havia se manifestado oficialmente.

Assista a reportagem:

Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: