_________CLIQUE NA IMAGEM E CONFIRA NOSSO CATÁLOGO_________

______________CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS____________

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

“SOU EXTREMAMENTE A FAVOR DO ARMAMENTO PARA A POPULAÇÃO”, DEFENDE CANDIDATO A VEREADOR

 O policial militar e candidato a vereador do município de Santa Cruz do Capibaribe, Sandro Clemente (PDT), foi o entrevistado da edição de ontem (terça-feira) do programa 30 Minutos de Prosa transmitido pela FanPage do Blog Agreste Notícia.

 No início da entrevista conduzida pelo jornalista Sidney Lima, o entrevistado fez uma breve apresentação:

 “Eu sou policial militar há quase 12 anos, dos quais a maioria deles dedicado a ROCAM, aqui na minha região, sou conhecido como Clemente da ROCAM e também sou psicólogo-clínico especifico na área de psicólogo do trânsito, tenho duas pós-graduações e atualmente atuo nas duas áreas e agora estou de licença da polícia por conta das eleições. Eu sou filho de um caminhoneiro e de uma costureira, meu pai já é falecido há 16 anos, sempre estudei em escola pública, a minha vida toda, a escola pública hoje tá numa situação bem melhor do que já esteve na minha época, não tinha livros, não tinha quase nada e a gente conseguiu através dos estudos chegar até aqui, já trabalhei em diversas coisas na minha vida, já descarreguei tijolo, vendi cachorro-quente, trabalhei em hotel e dessas outras profissões que me possibilitou e me tornou um homem que eu sou hoje, aí entrei nessa vida política porque é uma opção que pode transformar o nosso meio em que vivemos, nós podemos contribuir por que eu acredito que todo ser humano ele não está na terra simplesmente de passagem, mas ele está para contribuir para sociedade e é uma das formas de contribuir, uma forma mais direta e mais efetiva, é tentando abranger a minha cidade quando decidir ser candidato a vereador, pois acredito que na Câmara de Vereadores, eleito colocarei as minhas propostas de projetos de lei que irão beneficiar a sociedade santa-cruzense, como todo esse é o meu maior objetivo e quanto mais pessoas de bem estirem na Câmara de Vereadores, menos um corrupto, menos um vereador que não faz nada para se acomodar e isso é muito positivo porque a nossa cidade que merece um tratamento diferenciado, é uma cidade que merece ser vista com bons olhos, é a cidade que merece a atenção necessária, no entanto sofremos há décadas  uma negligência muito grande por parte do poder público nesta alternância de poder, que temos e nesse momento a gente se propõe para poder fazer uma nova alternativa, para que as pessoas não vote simplesmente por cores, mas elas possam olhar e aceitar como ela deve ser vista, é uma cidade que merece ser tratada bem, que ela tem uma pujança, o povo santa-cruzense é o povo muito trabalhador e um povo que conquistou suas coisas aonde vem pessoas de diversas cidades do país, até de fora do país conhecer”.

 Sandro Clemente enfatizou que tem orgulho de ser policial militar e integrar e de ter se dedicado a equipe ROCAM, defendendo a sociedade pernambucana, com ênfase ao município de Santa Cruz do Capibaribe.

 “Fui criado aqui em Santa Cruz do Capibaribe, eu fui criado na Rua 5, ali próximo a 29, a minha infância toda para minha adolescência e no ano de 2006 fiz o concurso da Polícia Militar de Pernambuco, fomos chamados no ano de 2009. Eu sou policial desde 2009 e quando a gente saiu da formação policial, eu vim trabalhar aqui na minha cidade, tenho prazer de trabalhar com esses companheiros que me ensinaram o que era ser polícia, o que era ser ROCAM, o que era defender a sociedade Pernambucana e em especial, a sociedade santa-cruzense e nós tivemos uma grande contribuição nesses anos que passamos por aqui”, enfatizou.

 Para o candidato a vereador, o eleitor não tem o habito de acompanhar os seus representantes após as eleições e geralmente só voltam a lembrar em quem voltou, quando é novamente procurados em anos de eleições.

 “O eleitor, ele não tem o hábito de acompanhar aquele candidato que elegeu, isso é uma coisa que faz a gente só se lembrar do candidato quando é no tempo de eleição, que ele os procura, volta para votar nele e até uma queixa às vezes do eleitor a seguinte situação”, considerou.

 Estimulado a avaliar a atuação da atual legislatura da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe, Sandro Clemente foi enfático:

 “Eu acompanho um pouco, não tudo que acontece na Câmara, por que tenho uma vida corrida, mas acompanho um pouco e o que fica difícil a gente fazer uma avaliação positiva em relação a Câmara de Vereadores, é que a gente não vê algo significativo nos projetos e nas ações dos vereadores e também, naturalmente, que se destaca mais só as coisas que são ruins, isso não só Câmara, mas em qualquer outro lugar, aquele que é ruim, ele tem um destaque maior e eu não me sinto representado nessa Câmera que a gente não pode dizer que todos são ruins, dizer que só fizeram coisas ruins, não é isso aí, tiveram umas coisas que foram positivas também”.

 Sobre ter aderido ao projeto encabeçado pelo candidato a prefeito Allan Carneiro (PSD), o Pedetista argumentou que sentiu nele uma forma muito interessante de fazer política.

 “Eu acompanho um pouco, não tudo que acontece na Câmara, por que tenho uma vida corrida, mas acompanho um pouco e o que fica difícil a gente fazer uma avaliação positiva em relação a Câmara de Vereadores, é que a gente não vê algo significativo nos projetos e nas ações dos vereadores e também, naturalmente, que se destaca mais só as coisas que são ruins, isso não só Câmara, mas em qualquer outro lugar, aquele que é ruim, ele tem um destaque maior e eu não me sinto representado nessa Câmera que a gente não pode dizer que todos são ruins, dizer que só fizeram coisas ruins, não é isso aí, tiveram umas coisas que foram positivas também”.

 Por fim, Clemente da ROCAM, como é mais conhecido, defendeu armar a população, que segundo ele, com isso, é garantir o direito da legitima defesa e dar condições do cidadão defender o seu patrimônio.

 “Sou extremamente a favor do armamento para a população, nós aqui em Santa Cruz do Capibaribe temos os conhecidos CAC’s que são caçadores, atiradores esportivos e colecionadores de armas, essas pessoas são pessoas que passam por um rigoroso critério para poder ter o direito de portar e possuir armas em sua casa, consequentemente defender a sua vida e o seu patrimônio. Com a eleição passada, com presidente Bolsonaro, foi facilitado bastante o acesso a armas e para você ter uma ideia, eu como policial, antes de Bolsonaro, nós tínhamos apenas o direito de comprar apenas 50 munições por ano, isso é um direito que um policial que é treinado e capacitado para se utilizar de arma, inclusive de alto poder de fogo, fuzil e calibre 12, só tinha direito de ter comprar 50 munições por ano para treinar. Imagina com 50 você conseguir buscar a ciência no seu treinamento, então acredito que ela é um instrumento que quanto mais o policial, logicamente em um campo de tiro, quanto mais ele praticar, ele adquire como nós falamos, treinamento difícil, combate fácil do nosso militar. Então a gente tem que estar capacitado, o nosso cenário real, nós temos em Santa Cruz, eu acredito, não sei com exatidão, mas, mais de 600 CAC’s que são atiradores colecionadores de armas em Santa Cruz”.

Assista a entrevista:

 Nesta quinta-feira (22) acontece as 18 horas, mas uma edição do programa 30 Minutos de Prosa, desta vez na residência da candidata à reeleição, vereadora Jessyca Cavalcanti (PSDB).

Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: