quarta-feira, 8 de agosto de 2018

1º FESTIVAL CAFÉ CULTURAL EM TAQUARITINGA TRANSFORMOU A CIDADE EM UM MULTICULTURALISMO NO INTERIOR DO ESTADO


 A pacata Taquaritinga do Norte, a Terra das Dálias, ganhou mais um grande evento, o Festival Café Cultural. O mesmo aconteceu entre os dias 19 e 22 de julho e veio para resgatar e valorizar a cultura do café, muito rica na cidade, que já foi coroada como tendo um dos melhores do país e no exigente mercado internacional, em virtude do seu tipo, arábica, cultivado as sombras das árvores.
 Realizado pela Governo Municipal através da Diretoria de Cultura, junto com o Ministério da Cultura e Governo de Pernambuco, o evento conseguiu transformar a cidade em um grande multiculturalismo no interior do estado, com cinco polos de animação que reuniu grupos de cultura popular, renomados artistas musicais do Forró, MPB e ritmos pernambucanos, bem como, oficinas de formação, exposições e um considerável aquecimento da economia com a geração de empregos e fortalecimento do turismo.
 “O evento veio resgatar o turismo de nossa cidade e foi um verdadeiro sucesso. Muito bom ouvir elogios da população e dos turistas que nos visitaram. O festival veio para ficar, foi um trabalho árduo, mas conseguimos. A cidade se transformou em uma grande apoteose de cultura, famílias reunidas, foi muito bonito e gratificante”, destacou o prefeito Ivanildo Mestre.
 “Foram nove meses de planejamento, organização e muita articulação até chegar o grande dia. Chegou, aconteceu e foi um marco em nossa cidade. O evento uniu cultura, arte, oficinas, shows e lógico, o grande personagem da festa: Nosso café de primeira qualidade” frisou o diretor de Cultura, Leo Lima.

 A Praça Padre Otto Sailer, no Centro, recebeu o palco principal com shows que fomentaram a produção musical fazendo uma mescla entre atrações tradicionais e mais contemporâneas. O público pode conferir grandes artistas já consagrados da música regional e nacional como Santanna o Cantador, a banda Trio Nordestino, o romântico Adilson Ramos, além de nomes como a Banda Fulô de Mandacarú, André Rio, Luciano Magno e participações especiais.
 A programação do Festival também contou com a carreta do SESC que ficou localizada no Altar da Pátria, no Centro, e contou com grandes espetáculos de dança, teatro, cortejos culturais e circo. Passaram pelo palco o Grupo Cultural Siriri do Horizonte Alegre, quadrilha junina, Os Fuzarqueiros, ambos da cidade de Pedra, a quadrilha Arrasta-pé de Sanharó, um lindo sarau estudantil, organizado pela Secretaria de Educação Municipal que levou todas as escolas públicas para a praça. O cantor Alexandre Revoredo, de Garanhuns; espetáculo teatral Sol Lá no Picadeiro, da Cia 2 em Cena, do Recife; todo o sucesso do Xaxado Cabras de Lampião, de Serra Talhada; o cantor Jonas do Acordeon, de Taquaritinga. Encerrando as apresentações um rico Cortejo Cultural com os grupos de maracatu Leão Misterioso e Estrela de Ouro, de Nazaré da Mata e Aliança, respectivamente; a peça “Sonhos do Palhaço Nuneco”; o músico Vertin Moura, de Arcoverde; e a cantora Lara Sales com seu show “Cantoras do Rádio” cantando clássicos da música brasileira que já foram interpretados por artistas como Dalva de Oliveira, Núbia Lafayette e Emilinha Borba.
 Outro Polo bastante frequentado foi o Literário, também localizado no Centro da cidade que contou com lançamentos de livros, palestras, debates.
 O radialista Geraldo Freyre, da Rádio Jornal, lançou sua mais recente obra “O que eu disse e o que me disseram”. O jornalista Romoaldo de Souza, especialista em café e política, correspondente da Rádio Jornal em Brasília, ministrou uma palestra com o tema: “Café: do pé à xícara”, levando novos conhecimentos ao público presente. Outro destaque ficou por conta dos filhos da Terra, a autora Maria da Conceição Lucena que lançou seu livro intitulado: “O Amigo Bonjo” e o autor, Nilton de Souza Curvêlo lançando seu livro: “São Tiago Maior de Beth Saída a Compostela”. Também neste polo foi apresentada a nova orquestra de música da Taquaritinga do Norte, batizada, 19 de julho, em alusão ao dia de sua exibição apresentação a sociedade.
 Os amantes da Arte e Poesia também ganharam um lugar especial no festival com um polo localizado na Praça Antônio Pereira onde reuniu o melhor do repente, da poesia, desfiles de moda com marcas da cidade e teatro de mamulengos. Já os apaixonados pela natureza, passeios e trilhas puderam conhecer alguns pontos turísticos da Dália da Serra através de uma caminhada ecológica que proporcionou aos participantes momentos de tranquilidade, clima de montanha e lindas paisagens de nossas matas.
 Lógico que o grande homenageado da festa teve seu polo especial. O coreto central se transformou em uma cafeteria, reunindo todos os cafés produzidos na cidade, além do melhor da culinária feita à base de café.
Formação cultural - Outro importante eixo do Festival foi o da Formação Cultural que contou com práticas para estimular novos agentes culturais e, também, oferecer aperfeiçoamento de técnicas àqueles que já fazem parte da cadeia produtiva da cultura. Ao todo três oficinas foram ofertadas: Literatura de cordel abordando a construção de um cordel, seus elementos, rimas, métricas, orações, pintura em telha e em tela com ênfase nas cores dos cafezais e na alegria, abordando técnicas, desenhos e formas oficina de Teatro, abordando a encenação circense, técnicas, elementos e que resultou em uma peça teatral apresentada em no Polo Arte e Poesia.
 Foram quatro dias de pura cultura, café de primeira qualidade e diversão, aliados ao clima agradabilíssimo de montanha que a cidade é naturalmente contemplada.
 Mais de 20 mil turistas passaram pela cidade, movimentando a economia, hotéis e pousadas ficaram com sua capacidade máxima, restaurantes lotados, a Taquaritinga do Norte voltou ao seu patamar de destaque turístico. O festival veio para ficar! Até 2019, com aquele gostinho de café orgânico, que esquenta a alma e o coração enquanto aguardamos ansiosos a segunda edição do nosso Festival Café Cultural.
Do: Blog Agreste Notícia Fonte: Assessoria

Nenhum comentário: