domingo, 11 de março de 2018

MULHERES JÁ REPRESENTAM METADE DO QUADRO DE PROFISSIONAIS EM MEDICINA VETERINÁRIA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

 Elas vencem obstáculos, quebram tabus e conquistam espaço em profissões antes ocupadas somente por homens. Na semana em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher, uma data comemorativa que marca a história de luta contra o preconceito, descriminação e de grandes conquistas, profissões anteriormente divididas de acordo com o gênero, hoje registram uma parcela significativa da presença feminina, como ocorre nas áreas da engenharia, direito, mecânica, segurança entre outras.
 No campo da saúde, na Medicina animal e zootecnia não é diferente! Dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) reafirmam esse contexto. Seu último levantamento realizado em 2017 mostra que atualmente no Brasil existem 118 mil médicos-veterinários em atividade, dos quais 58,4 mil, ou 49%, são mulheres. Até os anos 1980, elas representavam somente 20% da categoria no país. Os dados apontam ainda que em alguns estados, as mulheres já são maioria. Como ocorre no Rio de Janeiro que lidera o ranking com o maior número de mulheres médicas-veterinárias. São 5.830 profissionais, quantidade representada em 60% de todos os profissionais da cidade maravilhosa.
 Entretanto, não é preciso ir muito longe para encontrar exemplos que ilustrem essa realidade de forma positiva. Em Pernambuco, são 3021 veterinários registrados no sistema de cadastros do CFMV, sendo que 1632 são homens (54%) e 1387 mulheres (46%). Se comparado ao estado da Paraíba, por exemplo, a quantidade de veterinárias em Pernambuco é 9% maior (1013 mulheres a mais).
 Em Caruaru, na região agreste do estado podem ser encontrados exemplos que refletem tais números. Como é o caso do Centro Veterinário Jerônimo Ribeiro (CVJR). De acordo com seu Diretor Clínico Jerônimo Ribeiro, dos 9 veterinários clínica, 05 são mulheres. Elas ainda representam 50% do total de 22 colaboradores.
 Há 4 anos na medicina animal, a médica-veterinária Márcia Penaforte é especialista em clínica geral e nefrologia. Na opinião da profissional, a presença das mulheres no disputado mercado de trabalho é de grande importância assim como a quebra de certos Tabus.
 “Acompanho o crescimento das mulheres na área que tempos atrás era dominada por homens. Com o passar dos anos, fomos nos inserindo e hoje há uma porcentagem significativa de mulheres na profissão, que não exige força ao contrário do que se pensava, mas conhecimento e educação. Que as mulheres vieram para somar tudo isso”, afirma.
 Para a veterinária do CVJR, cuidar de animais propicia grandes benefícios que transbordam a realização profissional.
 “Sempre quis ser veterinária e encontrei no meu trabalho a oportunidade de poder auxiliar os animais na recuperação de suas enfermidades. Realizo-me ao vê-los bem e felizes com seus tutores após sua recuperação.”
 Informações publicadas no Conselho Federal de Medicina Veterinária também apresentam características importantes das mulheres profissionais que introduzem novas preocupações e desafios para a profissão, mudando, muitas vezes, perspectivas já estabelecidas nas relações de trabalho, inclusive no meio rural. Vários estudos revelam que as mulheres veterinárias e zootecnistas, de forma geral, apresentam atitudes mais positivas ou de cuidado em relação ao bem-estar animal e aos direitos dos animais.
Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: