segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

UNANIMIDADE - CÂMARA DE SANTA CRUZ APROVA PROJETO QUE AUMENTA EM 77% SALÁRIOS DE SECRETÁRIOS

 Os secretários do município de Santa Cruz do Capibaribe deverão receber a partir de janeiro os seus salários com 77,77% de aumento, graças ao projeto aprovado por unanimidade na Câmara de Vereadores da cidade, nas reuniões extraordinárias acontecidas na última sexta-feira (22).
 As remunerações dos secretários passarão de R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais) para R$ 8.000,00 (oito mil reais), mesmo valor que era pago no início do ano, antes de uma ação popular impetrada pelo advogado Dr. André Tadeu que conseguiu reduzir na justiça os salários dos secretários, vereadores, prefeito e vice-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe.
 O projeto de lei apresentado pela bancada que dá sustentabilidade ao governo municipal na Casa de Lei José Vieira de Araújo foi aprovado em primeira e segunda votação por todos os vereadores, com exceção de Carlinhos da Cohab (PTB), Augusto Maia (PTN) e Capilé da Palestina (PTN) que estiveram ausentes.
 O advogado André Tadeu já havia se pronunciado a respeito do projeto em uma emissora de rádio, ameaçando na oportunidade entrar com novas ações. A reportagem tentou falar com ele, mas não obteve êxito.
 A vereadora Jessyca Cavalcanti justificou que a aprovação é uma correção pelo fato de antes os valores pagos foi alvo da ação judicial e disse que acha R$ 8 mil um valor justo a ser pago aos secretários municipais.
 “Não existe um secretário que tem dedicação exclusiva em um município do porte de Santa Cruz do Capibaribe, se ele não ganhar bem, como iremos atrair profissionais qualificados?”, questionou.
 A reportagem também falou com o líder da oposição, Ernesto Maia (PT), que justificou ter votado a favor do projeto devido um parecer jurídico mostrando que era legal e o impacto financeiro não prejudica os cofres públicos.
 “O impacto financeiro mostra que o município pode pagar, na verdade esse salário era o que o município pagava no começo do ano, o valor de R$ 4.500,00 era da Lei de 2012”.

Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: