domingo, 17 de dezembro de 2017

3ª EDIÇÃO DOS JOVENS TALENTOS MOSTRA DIVERSIDADE CULTURAL NA PRAÇA DO CÉU

 Com o programa Jovens Talentos, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, por meio da Secretaria de Governo e Desenvolvimento Social, desenvolve e aprimora os talentos dos moradores santa-cruzenses há três anos. Proporcionando interação e diversão houve, na Praça do CEU – Centro de Esportes Unificados, na manhã deste sábado (16), um momento de conclusão e culminância das atividades a partir das apresentações culturais dos 12 coletivos espalhados pela cidade. 
 Dança, teatro, capoeira, jiu-jitsu, percussão, música e karatê foram alguns dos ritmos que invadiram o cenário desta manhã. A alegria tomou conta das crianças, jovens e até mesmo das senhoras do Centro de Convivência com os Idosos que representaram a cultura nordestina a partir de danças ao som do nosso forró tradicional.
 Essa é a 3ª edição dos Jovens Talentos que proporciona, de acordo com seu coordenador Rogério Vieira, um momento de mostra de talentos e de realização de atividades socioeducativas para a sociedade, a partir de momentos de alegria e de resgate e restauração de jovens.
 Os professores, Mestre Pajé e Graduada Flaviana, assim como são popularmente conhecidos, ensinam a capoeira para os alunos dos coletivos, trabalhando a coordenação motora e a flexibilidade, ajudando na afetividade e no convívio social a partir da liberdade de movimentos. Porém, essa representação não é resumida apenas a isso, a capoeira vai além, sendo uma representação cultural que mistura esporte, luta, dança, cultura popular, música e brincadeira.
 “A capoeira também é histórica, então além de trabalharmos a questão física e motora, trabalhamos com ensinamento histórico para que eles possam dar valor a diversidade cultural do nosso país e a essa cultura desenvolvida por escravos africanos trazidos ao Brasil no século XVI”, comenta a Graduada Flaviana.
 O trabalho também é social, onde mostra aos jovens uma melhor forma e um melhor direcionamento de suas atitudes, uma vez que, nota-se que a criminalidade e diversos outros malefícios estão invadindo cada vez mais o dia a dia dos jovens.
 “Atualmente vemos que há uma enorme quantidade de informação e de direções que os jovens podem “tomar”, o que acaba os deixando muitos dispersos ou levando a maus caminhos. Com isso, trabalhamos a capoeira para estabelecer metas, trabalhar o foco e dar disciplina para que ele possa se tornar um melhor ser humano”, acrescenta o Mestre Pajé.
 Lembrando que, caso tenha interesse no projeto e queira que seu filho participe de alguma atividade proporcionada pelos coletivos, basta apenas comparecer à Secretaria de Governo e Desenvolvimento Social, na segunda semana de janeiro de 2018, portando documento de identificação ou certidão de nascimento, declaração da escola (pois um dos requisitos envolve uma regularidade escolar), comprovante de residência, e CPF ou identidade do responsável.

Do: Blog Agreste Notícia Fonte: Assessoria

Nenhum comentário: