quarta-feira, 12 de julho de 2017

ARMANDO MONTEIRO E FERNANDO BEZERRA COELHO VOTAM FAVORÁVEIS À REFORMA TRABALHISTA

 Por 50 a 26, além de uma abstenção, a reforma trabalhista foi aprovada na noite desta terça-feira (11) pelo Senado Federal.
 Com um protesto de senadoras da oposição, que ocuparam a mesa do presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), a sessão foi atrasada em mais de seis horas e a votação foi conturbada e ainda sob manifestações.
 Os pernambucanos Armando Monteiro Neto (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (PSB) foram favoráveis à proposta. Humberto Costa (PT), líder da oposição, contrário. O socialista é líder do partido apesar de ter posição diferente da executiva nacional e cedeu a palavra a João Capiberibe para encaminhar o voto indicado pela direção da legenda. Saiba como votaram os outros senadores na reforma trabalhista.
 Enviado pelo governo no ano passado, o projeto muda trechos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e prevê pontos que poderão ser negociados entre empregadores e empregados e, em caso de acordo coletivo, passarão a ter força de lei.
 Como os destaques foram rejeitados, a reforma, já aprovada pela Câmara dos Deputados, seguirá para sanção do presidente Michel Temer. Segundo senadores da base, o presidente se comprometeu com alguns parlamentares a alterar trechos controversos do projeto.
 Depois da publicação no "Diário Oficial da União", pela Presidência da República, haverá um prazo de quatro meses para a entrada das novas regras em vigor.
 Pela proposta, a negociação entre empresas e trabalhadores prevalecerá sobre a lei em pontos como parcelamento das férias, flexibilização da jornada, participação nos lucros e resultados, intervalo de almoço, plano de cargos e salários e banco de horas.
 Outros pontos, como FGTS, salário mínimo, 13º salário, seguro-desemprego, benefícios previdenciários, licença-maternidade, porém, não poderão ser negociados.
Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: