quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

AIS-17 TEVE AUMENTO DE 17,6% NOS NÚMEROS DE HOMICÍDIOS E 42% DE CVP EM 2016

 2016 foi um ano bastante complicado no quesito segurança pública principalmente na Área Integrada de Segurança (AIS-17) que registrou um aumento de 17,6% em números de homicídios e de 42% nos Crimes Violento Contra o Patrimônio (CVP) comparados aos números de 2015.
 De janeiro a dezembro do ano passado, 194 pessoas foram vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), número que em 2015 foi de 165, uma diferença de 29 assassinatos nas cidades que integram a AIS-17 que são: Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Brejo da Madre de Deus, Jataúba, Taquaritinga do Norte e Vertentes.
 Já quando o assunto são crimes de roubos, toda a área da AIS-17 registrou no ano retrasado, 3.109 ocorrências, número que subiu para 4.415 em 2016, tendo um acréscimo de 1.306 assaltos no ano passado.
 O delegado Seccional, Dr. Júlio César Porto, concedeu entrevista ao Blog Agreste Notícia e falou sobre o assunto, considerando que, o ano de 2016 foi de muitas dificuldades em todos os aspectos.
 “Não é novidade para ninguém a crise econômica, crise política, então isso afeta tudo e a todos, não sendo diferente com a segurança pública. Não obstante essas dificuldades sofridas em 2016, com o esforço e comprometimento dos policiais que aqui trabalham, nós conseguiram manter um ritmo de produtividade de trabalho que inclusive em certos aspectos superou o ano de 2015”, destacou.
 Apesar da perda de policiais, perda de delegados, uma vez que a Delegacia de Toritama ficou seis meses sem delegado titular, bem como, o que aconteceu com 21ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DPH) que passou aproximadamente seis meses sem delegado, os números de inquérito remetidos à justiça também foi maior em 2016 comparado a 2015.
 Ainda de acordo com Dr. Porto, houve um incremente de inquéritos enviados a justiça tanto de crimes de homicídios consumados, como também, de homicídios tentados que são aqueles que a vítima sobrevive. Em números totais, foram remetidos para justiça apenas desses dois tipos de crimes, no ano passado, o número de 100 inquéritos com autorias, contra 95 do ano de 2015.
 Outro ponto destacado pelo Delegado Seccional foi relacionado ao contingente de criminosos enviados as unidades carcerárias em 2016, número que segundo Dr. Júlio César Porto cresceu 3%.
 “Apesar das dificuldades tanto administrativas como financeiras que passamos, isso no tocante aos trabalhos desenvolvidos pelas polícias, assim a gente pode colocar, isso, enfim, é a engrenagem que engloba as duas polícias, mas não obstante todas essas dificuldades do ano de 2016, nós tivemos o incremento no número de recolhimentos, que foram aquelas pessoas que cometeram crimes e foram presas ou em flagrante delito ou por comprimento de mandados de prisão. Em 2016 nós tivemos um total de 442 recolhimentos ao sistema penitenciário”, informou comparando em 2015 os 430 indivíduos presos.
  No final da entrevista, o Delegado ainda destacou o incremento de inquéritos policiais remetidos à justiça por outros tipos de crimes que não envolvem homicídios consumados e tentados. De acordo com ele, houve um aumento na produtividade de 12%, já que em 2016 o número foi de 679 procedimentos contra apenas 604 do ano de 2015.
Ouça a entrevista:
Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário: